Líbano

September 5, 2018


 

 

O DESEJO DE CONHECER O LÍBANO 

Um dia, turistando pelo Japão e explicando aos meus filhos sobre as tradições familiares do país, fui questionada sobre a descendência da nossa família e por que nunca havíamos planejado uma viagem para o local de nascimento de nossos ancestrais, o Líbano.

Depois de explicar os conflitos das recentes guerras me deparei com a dúvida deles de se então nunca poderíamos conhecer o nosso país de origem. Foi aí que pela primeira vez comecei a estudar a fundo os reais "perigos" desta viagem.

O Líbano, hoje, é um país seguro onde se caminha livremente, principalmente em Beirute. Para conhecer outras regiões a dica é estar com um guia especializado para saber onde ir. 

 

 

 

 

BEIRUTE
 

Até 1990 havia uma divisão entre muçulmanos e cristãos - Oeste e Leste. Beirute traz o otimismo de uma cidade que sobreviveu a uma recente Guerra Civil e que se recusa a desaparecer. Destruída e reconstruída 7 vezes, ela é repleta de atrações arqueológicas e históricas e com uma vibrante vida noturna, bairros repletos de galerias de arte e boutiques independentes, museus e restaurantes gastronômicos

CENTRO DE BEIRUTE 

Raouche - a Gruta dos Pombos, a Mesquita e Igreja de São Jorge uma ao lado da outra disputando visibilidade e a fé dos libaneses, o Calçadão a Beira Mar e a chamada Marina Zeituna Bay (por conta de suas Oliveiras), o Mercado, o Beirute Souk e suas boutiques luxuosas como os príncipes do Golfo Pérsico gostam de frequentar nos seus momentos de férias, são alguns dos pontos que não podem deixar de serem visitados.

A noite em Beirute é um capítulo à parte. Um dos lugares mais animados do planeta. Impossível não sair para um de seus animados rooftops. Iris Rooftop, Skybar e Four Seasons Rooftop são os mais recomendados.

 

Durante o verão vale a pena almoçar nos Beach Clubs e ver como os locais e turistas aproveitam a praia. Como é impossível fazer tudo em uma única viagem não conseguimos experimentar todos os recomendados e priorizamos a parte histórica, mas fomos ao Orchid e adoramos.

 

 

 

 

 

REGIÕES PRÓXIMAS QUE VALEM A PENA A VISITA


Região do Monte Líbano Gruta de Jeita: caverna de pedra calcária onde, durante a guerra civil, muitos se refugiaram. Uma das maravilhas da natureza.

Harissa: visitamos a Basílica de Nossa Senhora do Líbano e descemos por um Passeio de Teleférico com uma vista incrível da baia de Jounieh a 800 m de altitude.

Deir al Qamar era a capital do Líbano antes de Beirute. Cidade que está dentro da rota da seda dos séculos 18 e 19 e conhecida como Cidade dos Príncipes, com vários castelos.

Palácio de Beitedine - Construído ao longo de 30 anos pelo Emir Bechir El Chehab II, o lugar lembra o cenário das fábulas das 1.001 noites, arquitetura libanesa clássica do século 19. Em todos os palácios há uma hospedaria embaixo do estábulo. Este palácio foi construído por artesãos, libaneses, sírios e italianos.

 

 

 

 

 

 

BYBLOS 

A pitoresca cidade litorânea ao norte de Beirute é a cidade mais antiga do mundo habitada há mais de 7.000 anos, é um dos sítios arqueológicos mais ricos do mundo e já foram revelados no local mais 12 civilizações, sendo as mais dominantes da região: a egípcia e a fenícia.

Visitamos um lindo Forte impressionante construído por cima de uma verdadeira cidade fenícia. A primeira escrita em papel também saiu de Byblos. Os fenícios precisavam de registros então criaram um Alfabeto com 22 letras. Colunas e anfiteatro deixado pelos romanos. Perto do mar resquícios pré históricos foram encontrados e hoje estão no museu.

Almoçamos no Pepe Fishing Club, restaurante a beira mar com um acervo de objetos encontrados por seu fundador, Pepe Abed (libanês/mexicano) em seus mergulhos pela região. Os objetos foram considerados pela Unesco como patrimônio mundial da Humanidade. Vale muito a pena almoçar lá.

Byblos tem em um Souk bem simpático e vários cafés, restaurantes e lojas, dá até para passar uns dias lá.

Faraya: ha 50 km de Beirute estação de esqui com 42 pistas diferentes.

 

 

 

 

 

 

BALBECK E VALE DO BEKAA 

Balbeck tem um dos sítios arqueológicos mais bem preservados do mundo. O Templo de Baco é o maior templo romano, o Templo de Júpiter e o Templo de Vênus. Estes templos estão no Vale do Bekaa, famoso por suas vinícolas onde a degustação é imperdível.

Vinicola de Ksara: a mais antiga do Líbano, segundo alguns historiadores o vinho foi produzido pelos fenícios. Na vinícola Ksara a diferença é que a maturação dos vinhos é feita em uma caverna romana, descoberta por Padres Jesuítas, com 6 túneis que se estendem por mais de 2 km, no subsolo, a uma temperatura de 13 a 15 graus Celsius- lugar e clima ideais para armazenar o vinho, criando uma verdadeira adega natural.

Zahle e Rachaia - capital do vale do Bekaa. Daqui saíram os primeiros imigrantes libaneses para o Brasil. Produção de vinhos e Arak. Cidades da maioria das famílias brasileiras no Brasil e também é a região das nossas famílias não podíamos deixar de conhecer. Abaidete ficou para a próxima visita.