Líbano

September 5, 2018


 

 

O DESEJO DE CONHECER O LÍBANO 

Um dia, turistando pelo Japão e explicando aos meus filhos sobre as tradições familiares do país, fui questionada sobre a descendência da nossa família e por que nunca havíamos planejado uma viagem para o local de nascimento de nossos ancestrais, o Líbano.

Depois de explicar os conflitos das recentes guerras me deparei com a dúvida deles de se então nunca poderíamos conhecer o nosso país de origem. Foi aí que pela primeira vez comecei a estudar a fundo os reais "perigos" desta viagem.

O Líbano, hoje, é um país seguro onde se caminha livremente, principalmente em Beirute. Para conhecer outras regiões a dica é estar com um guia especializado para saber onde ir. 

 

 

 

 

BEIRUTE
 

Até 1990 havia uma divisão entre muçulmanos e cristãos - Oeste e Leste. Beirute traz o otimismo de uma cidade que sobreviveu a uma recente Guerra Civil e que se recusa a desaparecer. Destruída e reconstruída 7 vezes, ela é repleta de atrações arqueológicas e históricas e com uma vibrante vida noturna, bairros repletos de galerias de arte e boutiques independentes, museus e restaurantes gastronômicos

CENTRO DE BEIRUTE 

Raouche - a Gruta dos Pombos, a Mesquita e Igreja de São Jorge uma ao lado da outra disputando visibilidade e a fé dos libaneses, o Calçadão a Beira Mar e a chamada Marina Zeituna Bay (por conta de suas Oliveiras), o Mercado, o Beirute Souk e suas boutiques luxuosas como os príncipes do Golfo Pérsico gostam de frequentar nos seus momentos de férias, são alguns dos pontos que não podem deixar de serem visitados.

A noite em Beirute é um capítulo à parte. Um dos lugares mais animados do planeta. Impossível não sair para um de seus animados rooftops. Iris Rooftop, Skybar e Four Seasons Rooftop são os mais recomendados.

 

Durante o verão vale a pena almoçar nos Beach Clubs e ver como os locais e turistas aproveitam a praia. Como é impossível fazer tudo em uma única viagem não conseguimos experimentar todos os recomendados e priorizamos a parte histórica, mas fomos ao Orchid e adoramos.

 

 

 

 

 

REGIÕES PRÓXIMAS QUE VALEM A PENA A VISITA


Região do Monte Líbano Gruta de Jeita: caverna de pedra calcária onde, durante a guerra civil, muitos se refugiaram. Uma das maravilhas da natureza.

Harissa: visitamos a Basílica de Nossa Senhora do Líbano e descemos por um Passeio de Teleférico com uma vista incrível da baia de Jounieh a 800 m de altitude.

Deir al Qamar era a capital do Líbano antes de Beirute. Cidade que está dentro da rota da seda dos séculos 18 e 19 e conhecida como Cidade dos Príncipes, com vários castelos.

Palácio de Beitedine - Construído ao longo de 30 anos pelo Emir Bechir El Chehab II, o lugar lembra o cenário das fábulas das 1.001 noites, arquitetura libanesa clássica do século 19. Em todos os palácios há uma hospedaria embaixo do estábulo. Este palácio foi construído por artesãos, libaneses, sírios e italianos.

 

 

 

 

 

 

BYBLOS 

A pitoresca cidade litorânea ao norte de Beirute é a cidade mais antiga do mundo habitada há mais de 7.000 anos, é um dos sítios arqueológicos mais ricos do mundo e já foram revelados no local mais 12 civilizações, sendo as mais dominantes da região: a egípcia e a fenícia.

Visitamos um lindo Forte impressionante construído por cima de uma verdadeira cidade fenícia. A primeira escrita em papel também saiu de Byblos. Os fenícios precisavam de registros então criaram um Alfabeto com 22 letras. Colunas e anfiteatro deixado pelos romanos. Perto do mar resquícios pré históricos foram encontrados e hoje estão no museu.

Almoçamos no Pepe Fishing Club, restaurante a beira mar com um acervo de objetos encontrados por seu fundador, Pepe Abed (libanês/mexicano) em seus mergulhos pela região. Os objetos foram considerados pela Unesco como patrimônio mundial da Humanidade. Vale muito a pena almoçar lá.

Byblos tem em um Souk bem simpático e vários cafés, restaurantes e lojas, dá até para passar uns dias lá.

Faraya: ha 50 km de Beirute estação de esqui com 42 pistas diferentes.

 

 

 

 

 

 

BALBECK E VALE DO BEKAA 

Balbeck tem um dos sítios arqueológicos mais bem preservados do mundo. O Templo de Baco é o maior templo romano, o Templo de Júpiter e o Templo de Vênus. Estes templos estão no Vale do Bekaa, famoso por suas vinícolas onde a degustação é imperdível.

Vinicola de Ksara: a mais antiga do Líbano, segundo alguns historiadores o vinho foi produzido pelos fenícios. Na vinícola Ksara a diferença é que a maturação dos vinhos é feita em uma caverna romana, descoberta por Padres Jesuítas, com 6 túneis que se estendem por mais de 2 km, no subsolo, a uma temperatura de 13 a 15 graus Celsius- lugar e clima ideais para armazenar o vinho, criando uma verdadeira adega natural.

Zahle e Rachaia - capital do vale do Bekaa. Daqui saíram os primeiros imigrantes libaneses para o Brasil. Produção de vinhos e Arak. Cidades da maioria das famílias brasileiras no Brasil e também é a região das nossas famílias não podíamos deixar de conhecer. Abaidete ficou para a próxima visita.

 

 

 

 

 

 

 

 

REGIÃO SUL 


 Saida ou Sidon - Cidade litorânea que passou pelo domínio de diversas civilizações de assírios a babilônios e persas. Foi conquistada por Alexandre o Grande, pelos cruzados e pelos árabes.

Hoje Sidon mantém um ritmo de vida típico preservando um Souk tradicional dos mais antigos do oriente onde ainda preservam-se hábitos como vender galinhas vivas, carneiros inteiros misturados com doces árabes e pães feitos na hora.

Castelos e sítios arqueológicos. É lá que está a igreja de São Nicolau, do século 17. A cidade é citata na Bíblia como onde Jesus frequentemente pregava e fez milagres. Ali perto esta a gruta de Nossa Senhora da Espera (Nabtara) onde Maria ficava esperando Jesus e seus discípulos para passarem a noite. Em Sidon está também o Museu do Sabão Oriental. Durante uma reforma em sua casa, a família Audi encontrou nas escavações ruínas de uma fábrica de sabão com objetos usados para a fabricação e a transformou em um interessante museu.

Tiro - Cidade com ruínas romana e hipódromo. Trípoli é a segunda maior cidade do país, originalmente um assentamento fenício tendo desempenhado um papel fundamental na história do país ao longo dos séculos.

Prédios da Idade Média, Hammans, banhos turcos cidadela cercada por muralhas.

Badtrun- cidade pequena com igrejinha, Suks (mercados) tradicionais e uma famosa muralha fenícia a beira mar que foi feita para segurar as ondas do mar frente a cidade. Detalhe que Badtrun também é cheio de bares e restaurantes com uma vida noturna agitada.

 

 

 

 

 

REGIÃO NORTE 

Vale de Kadisha, Bechare e Cedros que também foi considerada patrimônio Natural Mundial da Unesco e tem o pouco que restou das florestas de Cedros que cobriam o Líbano e que foram aos poucos explorados por assírios, babilônios, persas e fenícios. Esta madeira foi utilizada inclusive na construção do primeiro grande Templo de Jerusalém.

Árvores de 2.000 anos citadas no Antigo Testamento.